Notícias


Secretaria de Educação promoveu capacitação sobre Autismo

A Secretaria Municipal de Educação em parceria com a Associação de Pais e Amigos de Autistas de Patos e Região (ASPAA) promoveu na manhã da última segunda-feira, 8 de julho, capacitação para professores, cuidadores, coordenadores pedagógicos e diretores escolares da rede municipal.

Na abordagem, o tema “Autismo: aprendizagem e inclusão escolar”. Ao lançar o debate, a secretaria objetivou dar mais conhecimento de causa para a categoria a fim de que saibam identificar sinais, a partir do comportamento da criança em sala de aula, bem como trabalhar a inclusão desses alunos.

Para facilitar o debate, o encontro foi dividido em três momentos. A primeira palestra sob a ótica do “Autismo Vivido por Jossely Oliveira”. Ela é professora e presidente da Aspaa. É também autista e mãe de autista.

A professora explicou tudo sobre os sintomas, a vivência da pessoa autista e citou nomes de famosos que são autistas e também são exemplo de superação. Para os participantes, a professora é prova real de que é possível vencer frustações e conquistar o seu espaço, assim como qualquer outra pessoa.

O segundo momento contou com o apoio de Elisângela Torres, psicopedagoga e mãe de autista. Que falou sobre “Autismo: aprendizagem e inclusão escolar”. Seu filho João, de seis anos, estava presente e era sempre utilizado nas exemplificações da fala.

Na parte final, a psicopedagoga desenvolveu a “Oficina de atividades adaptadas”. A partir daí os participantes tiveram mais uma oportunidade de conferir o desempenho de João, por meio de atividades lúdicas criadas em casa, a partir dessa convivência entre mãe e filho.

Inclusive, Elizangela criou canal no Instagram, a saber: joao.autista, a fim de dar dicas, mostrando como as atividades tem influência no desenvolvimento do seu filho. Além de ajudar outras famílias a superar barreiras e começar a praticar com seus próprios filhos.

Para a professora Sara Aires, o encontro “foi prazeroso, algo que não nos cansou”. Depois, ressaltou: “Não é todo dia que você pode desfrutar, na prática, de uma aplicação pessoal daquilo que se estuda”.

Já a diretora da escola Lúcia de Fátima, Rafaela Macedo, disse que “por mais que eu achasse que conhecia um pouco do que é autismo, do comportamento e de quais recursos utilizar, não era nada comparando ao que foi visto”.

A vice-diretora da escola Francisco Pergentino disse que o tema foi bastante sugestivo. “A gente pensa em levar uma palestra nesse estilo para reunião de pais. E com nossos cuidadores, a gente planeja fazer uma oficina para criação de novos materiais”.

No período da tarde, em cada uma das escolas teve reunião para planejamento das aulas do segundo semestre, que se iniciou logo na terça-feira.

« Voltar